Conectado por
Rondônia, quinta, 22 de fevereiro de 2024.

Geral

Cartórios e Detrans do país oferecem serviços digitais para diminuir contágio do coronavírus

Compartilhe:

Publicado por

em

Em 26 dos 27 estados brasileiros e no Distrito Federal, já é possível requisitar documentos que só eram acessíveis mediante uma visita presencial ao cartório. Com exceção do Acre, em todo o país, as pessoas já podem registrar casamentos, fazer escritura de imóveis e tirar segunda via de documentos pela internet, entre eles, certidões de nascimento, de óbito, negativa de bens e de casamento.

Desde o início de abril, os cartórios estão autorizados a registrar todos os atos de forma eletrônica. Entre esses atos está o registro da primeira escritura totalmente sem a presença do comprador e do vendedor no Rio de Janeiro. O imóvel foi comprado e registrado online pela Loft, empresa que utiliza tecnologia para facilitar a compra, reforma e venda de imóveis.

 

A documentação ficou pronta no mesmo dia. Para o gerente geral da Loft no Rio de Janeiro, Bartolomeu Cavalcanti, a escritura digital garante agilidade e comodidade ao processo e aumenta a proteção das partes envolvidas.

Segundo a tabeliã Jacqueline Ribeiro, do 15º Ofício de Notas, a escritura eletrônica é tão segura como a realizada presencialmente.

A validação dos documentos é feita através de um certificado digital, após autorização do Conselho Nacional de Justiça para que cartórios realizassem atos online, para diminuir os riscos de contágio pela Covid-19.

Outro esforço para facilitar ainda mais a vida nesses tempos de pandemia são as versões digitais do CRLV, Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo, e do CDT, Carteira Digital de Trânsito, para motoristas de pelo menos 14 estados brasileiros, além do Distrito Federal.

Os estados nos quais a digitalização destes documentos já é realidade são Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rondônia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Funciona assim: os documentos são armazenados no celular e podem ser disponibilizados mesmo sem acesso à internet, já que o aplicativo gera um arquivo PDF com QR Code e assinatura digital, que garante a autenticidade.

 

Todas as informações do documento impresso estão na versão eletrônica do CRLV, que tem a mesma validade jurídica do CRLV físico. A emissão é inteiramente online, e não é necessário comparecer ao Detran para obter a versão digital.

 

Para ter acesso, deve ser feito o download na internet do aplicativo CDT. O documento virtual pode ser compartilhado com até cinco pessoas, mas apenas o proprietário do veículo pode emiti-lo. Também é possível ter o CRLV digital de mais de um veículo nesse mesmo aplicativo.

 

A previsão é que até o fim de junho a tecnologia já esteja presente nos Detrans de todo o país.

Fonte: Ag. Brasil